quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Auto-aceitação

Auto-aceitação

Aceitar-se. “Você consegue fazer isso sozinho (a)?”
Invista um tempo refletindo sobre essa questão. Buscamos tanto a aceitação do outro, evitamos e sofremos com a rejeição e não prestamos atenção que na verdade pedimos o que nos recusamos (pelo menos até agora) a nos dar.

Amar-se e aceitar-se incondicionalmente.
Com virtudes e defeitos.
Reconhecer-se inteiro (a).
Perdoar-se todos os dias.
Deixar ir.
Abrir-se para o novo.
Viver cada dia como se fosse o último.
Permitir-se ser. Ser quem é, do jeito que é.
Único(a) e com muitos talentos a compartilhar.
E muitos desafios a vencer.

Cheguei a conclusão de que antes de casar com alguém a gente precisa casar com a gente mesmo. Abraçar-se na alegria e na tristeza, na saúde e na doença... Ser o (a) melhor amigo (a) de si mesmo. Criar pensamentos de aceitação e auto-respeito.

“Acolher o bom e o belo e deixar o rio da vida fluir através de você” como sugeriu Stephen Gilligan.

Desapegar-se. Apego não se refere apenas ás questões materiais, diz respeito ás emoções também ou principalmente. Repetimos muitas vezes nossas histórias de mágoa e elas ficam guiando nossas vidas como se fossem aviões sobrevoando o aeroporto sem poder pousar.

Aceitar-se significa além de reconhecer as emoções e sentimentos, manter um diálogo interno produtivo, positivo: está tudo bem, qual é o nome desse desconforto?, o que posso aprender , qual a mensagem essa emoção quer me dar?, e liberar, soltar, desprender.

Abaixo a culpa. Reconheça seus medos, raivas, invejas, mágoas guardadas... chega de guardar roupa velha que não serve mais no ármário. Liberte-se. Eu sei que estou repetitiva, mas deixe ir...

Eu gosto de usar uma técnica que aprendi com a Teresa Robles...
Eu me sento e fico confortável e vou pensando...

Eu sou... Eu sou eu... curando, sarando as feridas emocionais saudavelmente, confortavelmente... aprendendo... Eu sou, eu sou eu transformando as emoções protegidamente...

E sigo dando estes comandos para mim mesma. Tem bom efeito.

Tem uma técnica chamada Ho oponopono que é eficaz também. Em Havaiano, Ho'o significa “causa”, e ponopono quer dizer “perfeição”, portanto Ho’oponopono significa " causar perfeição", "curar" “corrigir um erro” ou “tornar certo”. O Ho oponopono parece uma oração e a oração é sempre uma excelente técnica de limpeza.

Vale a pena conhecer a teoria toda. Procure na internet sobre o Ho oponopono.

Você fala assim:

Criança interior, conecte-se com o Poder Divino ( Com o Universo, com a Mãe Divina, com a força maior, de acordo com o que acredita) e peça para Ele limpar em nós os pensamentos, sentimentos e memórias equivocadas que estão causando o problema e transmutá-los em pura luz.
Eu sinto muito. Te amo. Me perdoe. Sou grata.

Siga repetindo estas palavras que parecem mágica...

Fortalecer este pilar da auto-estima é mesmo desafiador.
Aprendemos lá na primeira infância a nos culpar, a ter medos e muitas vezes que não somos bons o suficiente.

Os nossos pais fizeram o que achavam certo e como disse a Sofia Bauer em um dos seus CD´s “as pessoas que mais amamos são aquelas que mais nos machucam. Fazem isso tentando acertar."

Vou usar Sartre aqui “Não importa o que nossos pais fizeram com a gente e sim o que nós vamos fazer com o que o nossos pais fizeram com gente”.

Aprendemos a rejeitar nossos pensamentos e sentimentos considerados negativos... Ai que o “bicho papão” fica maior ainda... O resultado é sofrimento, ansiedade, angústia e mais um tanto de coisas.

Aceite. Reconheça. Acho que foi Freud que disse que no mundo dos sentimentos não existe mentira. São o que são. Busque sentir a insustentável leveza do ser.... Adoro a palavra ´leveza´...

Se o caminho é me aceitar incondicionalmente, então tenho a intenção de seguir esse caminho...

Como disse Adélia Prado “O amor é a coisa mais triste. O amor é a coisa mais alegre. O amor é a coisa que eu mais quero."

Como fazer isso?

Eu só sei até aí...

A mudança acontece a maneira de cada um e cada um tem seu ritmo, seu tempo... Sua forma de processar as coisas. Tenha a intenção genuína de se aceitar de verdade e acredite... a mudança vai acontecer... É verdade que precisamos de mais do que isso. Intenção sem ação não funciona muito bem. Então comece a agir. Pratique o “tbc” (tire o bumbum da cadeira) e faça alguma coisa pra mostrar que se ama...

Alimentação saudável, sono tranquilo, lazer, sexo, amor, alegrias, família, trabalho com equilibrio. Movimente-se, nem que seja optando pelas escadas ao invés das rolantes, nos aeroportos... Como eu.

São as pequenas mudanças que formam as grandes. Faça pequenas mudanças!

Quero dar uma dica que pode ajudar. Ouça um CD do Gastão Ribeiro chamado “O abraço da borboleta”. Além de lindo é eficaz.

Por hoje é só e lembre-se de fazer uma declaração de amor por si mesmo e também para quem você ama antes de dormir.

Abraços
Keli

2 comentários:

  1. Adorei Keli...
    Lindas e sábias palavras! Bjs queridona.

    ResponderExcluir
  2. Bem vinda!
    Já está nos meus favoritos para ler sempre!
    Beijos!

    ResponderExcluir